Exercícios neuróbico. Pense numa coisa boa.

No MINHA OPINIÃO de hoje vou comentar uns desafios da Neuróbica que me mandaram. Primeiro fui descobrir o que vem a ser Neuróbica. Descobri que é tratamento cognitivo para desenvolver o uso pleno do cérebro. Também descobri que para ser um ‘neuróbico’ (existe esse termo?) eu devo fazer tudo ao contrário da minha atual rotina, para forçar o meu cérebro a realizar um trabalho a mais.

Isso me fez lembrar da banca na Universidade, e lembrar de Maffesoli, professor e escritor dos contrários; ele ensina que devemos comer sem ter fome e dormir sem está com sono.

Fui aconselhado a fazer os seguintes exercícios.
Olha! Isto é ciência pura.

Veja fotos de cabeça para baixo. Fiquei na dúvida eu ou a foto. Claro que a minha opção foi colocar as fotos de cabeça para baixo, pois aos 70 anos, não dá para “plantar bananeira”.

Use o relógio no braço oposto.  Fiquei confuso. Qual é o meu braço oposto? Como não gosto de relógio não usarei nem no braço direito, nem no esquerdo e muito menos no oposto.

Veja o tempo no espelho. Um dia o Espelho me falou: “Tá ficando idoso”. Ele é cruel; seriamos mais felizes se não existe espelho.

Caminhe ao redor da casa. O amigo que me mandou esses exercícios, esqueceu que minha casa é conjugada, o máximo que posso fazer é um “bate e volta”.

Escove os dentes com as mãos direita e esquerda. Esse tá fácil. Pois todas as vezes eu escovo os dentes com a mão direita, mas quando olho no espelho vejo a escova na mão esquerda.

Vista-se com os olhos fechados. Se com a luz as vezes tenho dificuldades e coloco as pernas numa passagem da bermuda, imaginem no escuro.

Altere o itinerário na voltar para casa. Não faça isso se estiver senil, vai se perder com certeza, principalmente se você estiver em Londres.

Sinta sabores diferentes. Tentei comer coisas exóticas, mas não gostei de jiló. Amarga muito.

Brincadeira a parte; e falando sério. Os conselhos são reais, mas os comentários são puras distrações.

Na minha opinião qualquer tipo de exercício que desenvolva a mente é bem-vindo para nós idosos, mas é bom consultar um especialista no assunto, para não ser surpreendido com algum tipo de infortúnio.

Será que no futuro, nós idosos vamos ser chamados de “neuróbico”? Espero que não. Mas quem viver verá.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *