Cartilha Repapi

Cartilha Repapi

VERSÃO – 2020

I. MOTIVAÇÃO – Assim como no Brasil, o número de pessoas idosas está aumentando na Igreja Presbiteriana a cada dia. Dois fatores contribuem para este fenômeno, que não é apenas brasileiro, mas mundial: A diminuição da taxa de natalidade: menos crianças nascendo e o aumento da expectativa de vida que pode chegar a 72 anos no ano 2020.

Relatórios da Organização Mundial da Saúde dizem que a previsão é que, no ano 2014, a população idosa em todo o mundo seria de mais de 1 bilhão de idosos e, que no ano 2025, o Brasil terá a 6ª população idosa do planeta, aproximadamente 32 milhões de pessoas idosas.

A Igreja Presbiteriana do Brasil reconhece que é necessário efetivar ações para que as pessoas idosas tragam para o seio da comunidade eclesial a sabedoria e a experiência de uma vida dedicada e produtiva.

II. IDENTIFICAÇÃO – Proposta de organização de um grupo de convivência REPAPI nas Igrejas com objetivo de desenvolver políticas eclesiásticas para as pessoas idosas

formado por homens e mulheres, idosos e/ou pré idosos da igreja local e da comunidade onde a igreja estiver inserida.

III. JUSTIFICATIVA – Considerando-se que:

a) Há um aumento do número de pessoas idosas na Igreja local.

b) Há necessidade da criação de espaços próprios para reflexão da temática relacionada com a pessoa idosa.

c) Há na Bíblia várias recomendações de como tratar o envelhecimento no meio do povo de Deus.

d) Há na pessoa idosa um manancial de contribuição para ajudar a Igreja no equilíbrio familiar, eclesial e social.

IV. CLIENTELA – Membros da Igreja idosos e/ou pré idosos ou pessoas da comunidade com idade a partir de 60 anos.

V. OBJETIVO GERAL – Proporcionar aos participantes do grupo a oportunidade de usufruir um envelhecimento ativo e saudável do ponto de vista espiritual e social.

VI. OBJETIVOS ESPECÍFICOS

a) Criar oportunidades para que a pessoa idosa possa compartilhar e valorizar suas experiências com seus pares.

b) Criar oportunidades de lazer através da realização de viagens, excursões, passeios, visita a teatro etc.

c) Desenvolver momentos de interação entre gerações a fim de favorecer a convivência e troca de experiências com pessoas de outras faixas etárias.

d) Desenvolver ações para melhorar o relacionamento da família para com a pessoa idosa para que mesma seja tratada com amor e consideração, mostrando que não há juventude sem envelhecimento.

e) Despertar e reforçar na igreja que os princípios cristãos exigem uma atitude de respeito e honra para com a pessoa idosa.

f) Desenvolver ações junto ao Conselho da Igreja para a formação de uma Koinonia do Idoso.

g) Possibilitar à pessoa idosa o aprendizado de novas referências de vida a fim de despertar o interesse por inclusão social e assim evitar a alienação mundana.

h) Oportunizar à pessoa idosa criar, formar e fortalecer amizades sociais.

i) Organizar encontros de reflexão sobre envelhecimento a fim de eliminar os mitos e preconceitos.

j) Oportunizar a prática recreativa e física instrumentalizada através de atividades sociais, lúdicas, de lazer e culturais.

k) Desenvolver a consciência cidadã a fim de que a pessoa idosa possa exercitar seus direitos de cidadania e buscar os benefícios oferecidos pela legislação do país.

l) Informar a pessoa idosa sobre serviços públicos municipais, estaduais, federais e privados existentes que estão direcionados para atender às necessidades do segmento.

VII. QUANTIDADE DE PARTICIPANTES – O número de participantes em cada grupo é indeterminado. Se a Igreja tiver mais pessoas interessadas pode organizar outros grupos. A limitação de participantes ajuda na dinâmica de funcionamento do grupo.

VIII. METODOLOGIA DE FUNCIONAMENTO – A metodologia de trabalho vai depender da dinâmica de cada Grupo/Repapi e pode ser realizada através de:

· Encontros – Os encontros podem acontecer de forma quinzenal ou mensal e com programação dinâmica para não cansar a pessoa idosa.

· Palestras – Rápidas palestras educativas com profissionais de diversas áreas. O tempo de concentração da pessoa idosa vária entre 20 e 30 minutos no máximo.

· Oficinas de trabalhos manuais – Promover oficinas para aprendizado e venda dos trabalhos manuais produzidos pela pessoa idosa.

· Oficinas culturais – Motivar a participação nas oficinas como: canto coral, quarteto, dueto, instrumental, teatro, jogral, orquestra, entre outros.

· Lazer – Realizar passeios, excursões e viagens de lazer aproveitando os incentivos oferecidos pelo Governo. Assim como promover jogos recreativos, brincadeiras, gincanas compatíveis com as condições da pessoa idosa e a dinâmica de grupo.

· Koinonia – Incentivar junto ao Conselho a criação de uma Koinonia da Pessoa Idosa a fim de dar assistência ao grupo e ajudar no resgate da autoestima e valorização na fase do envelhecimento.

IX. RECURSOS – Quanto aos recursos são necessários nas esferas humana, material e financeira.

Humana – É necessário que uma pessoa coordene o grupo e que de preferência seja uma pessoa idosa, mas é preciso formar uma equipe de apoio que vista a camisa do segmento com criatividade, respeito e compromisso com a causa e com o reino de Deus.
Material – O grupo deve se reunir em sala arejada, limpa, aconchegante e de boa acessibilidade; e quanto às atividades de lazer é recomendável ao ar livre.

Financeiro – A equipe providenciará recursos financeiros junto ao Conselho da Igreja ou doações entre os membros do próprio grupo para oferecer o lanche em cada reunião, programas especiais, passeios e outros gastos necessários.

X. DOCUMENTAÇÃO – Organização também é prioridade; por isso, se faz necessário que o grupo tenha seu próprio arquivo.

· Ficha de inscrição – Contenha os dados pessoais que possibilitem conhecer melhor o perfil e o interesse da pessoa idosa.

· Pasta – Uma pasta para cada pessoa idosa com informações atualizadas que possam ajudar na avaliação pela equipe.

· Censo – Fazer levantamento das pessoas idosas que frequentam ou congregam na igreja.

Rev. Pinho Borges – Secretário Nacional da Pessoa Idosa

Secretaria Nacional da Pessoa Idosa

Igreja Presbiteriana do Brasil

Rede Presbiteriana de Apoio à Pessoa Idosa

Maio de 2020