Repreendido por um pagão

Repreendido por um pagão

Jonas, porém, havia descido ao porão e se deitado; e dormia profundamente. Jonas 01,05

Vamos relatar o depoimento de um marinheiro repórter da Marinha Brasileira, após visitar a Ilha da Trindade, que fica localizada no Oceano Atlântico, a aproximadamente 1 200 km a leste da cidade de Vitória, no Espírito Santo, para fazer uma reportagem.

Segundo o repórter ele embarcou numa corveta no Rio de Janeiro. Ele relatou que quando estava em alto-mar, à noite, começou a soprar um vento muito forte tornando a mar agitado. Ele contou que não conseguia dormir e passou a ter náuseas constantes. E lhe veio à mente a história Jonas, personagem bíblico, a caminho de Nínive.
Guardando as devidas proporções.
Imagine Jonas dormindo no porão do navio, enquanto a tripulação se desesperava lutando contra a fúria do mar.

Podemos fazer hoje vários questionamentos.
Como podia Jonas dormir, enquanto as encapeladas ondas ameaçavam afundar o barco? Como podia Jonas dormir, enquanto fugia da ordem de Deus?
Como podia Jonas dormir, quando tinha ciência que era o causador da tempestade?

Ao ver a tripulação buscando a salvação em imaginários deuses, Jonas procurou no porão do navio, um lugar para dormir, como que fugisse do problema.

Com certeza a fuga da vontade Deus, deixou Jonas debaixo de grande pressão tensão psicológica e ele procurou relaxar dentro de uma tempestade.

Por que Jonas não quis participar daquele grupo de oração?
Talvez não quisesse se assentar na roda dos escarnecedores, ou por se sentir culpado e sem desejo de orar.

Imagine a cena. Enquanto o homem de Deus dormia, os ‘pagãos’ oravam.

Interessante que o texto narra que o capitão do barco notou a sua ausência, ao encontrá-lo preguntou: “O que há com você? Se não pode nos ajudar de outra maneira, pelo menos levante-se e peça a ajuda ao seu Deus!”

Imagine a situação de Jonas, profeta de Deus, sendo repreendido por um pagão; esse capitão demonstrou ter mais fé nos deuses imaginários, do que Jonas no verdadeiro Deus.

Será que a semelhança de Jonas vamos precisar ser repreendidos, pelos não crentes para cumprimos as nossas obrigações cristãs?
Será que a semelhança de Jonas vamos precisar ser repreendidos, pelos não crentes para vivermos de acordo com a vontade de Deus?

Pensem nisto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *