O Menino e o Mel de Engenho

Em um pequeno arruado de Sucupira, um bairro do interior na época, onde as ruas guardavam o segredo das tardes douradas e o tempo parecia caminhar com mais calma, vivia um menino de olhos curiosos e coração aventureiro. Naquela época, a vida desenrolava-se em ritmos e sabores que a modernidade ainda não havia tocado, e uma das maiores alegrias do menino era a passagem do vendedor de mel de engenho, Seu Antônio, com seu cilindro metálico uma promessa diária ao cair da tarde. Seu Antônio era conhecido por todo bairro … Esse menino sou eu.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *