O Desafio do Novo Nascimento: Uma Fé Viva

“Assim, se alguém está em Cristo, é nova criatura; as coisas antigas já passaram, eis que surgiram coisas novas!” (2ª Co. 5,17)

O Desafio do Novo Nascimento: Uma Fé Viva e Transformadora – Assim, se alguém está em Cristo, é nova criatura; as coisas antigas já passaram, eis que surgiram coisas novas!” (2ª carta aos Coríntios 5, verso 17)

Queridos. A graça e a paz do nosso Senhor Jesus Cristo estejam convosco. Hoje, nossa reflexão trata da vitalidade da nossa fé em relação ao conceito do Novo Nascimento.

O versículo em tela destaca a transformação radical que ocorre na vida de alguém quando se torna cristão. Ela é descrita como “nova criatura”, indicando uma mudança completa e uma nova vida em Cristo.

Essa transformação é resultado do novo nascimento espiritual e resulta em uma fé viva e transformadora, onde a pessoa é capacitada pelo Espírito Santo a viver de acordo com os princípios do evangelho.

Vivemos em uma época em que muitos afirmam que a fé está morrendo, e eu ousaria dizer que essa declaração carrega uma verdade profunda: a falta do Novo Nascimento está minando a essência viva da nossa fé.

Jesus, em Seu diálogo com Nicodemos, foi claro ao afirmar que quem não nascer de novo não pode ver o reino de Deus (João 3, verso 3).

É importante compreender que nascer de novo não se trata de mudar de religião, adotar novos ritos ou confissões de fé. É uma regeneração espiritual, uma transformação profunda onde o indivíduo se torna verdadeiramente diferente.

Infelizmente, Nicodemos, como muitos na atualidade, estava limitado a uma perspectiva institucional, pensando em mudar de endereço para o céu, mas o novo nascimento vai além disso.

O Novo Nascimento não apenas reforma a fé individual, mas também transforma a Igreja de Cristo. A regeneração espiritual produz uma mudança real, levando-nos a participar da natureza divina e a adquirir a imagem de Cristo. Não é uma mera alteração externa, mas uma profunda renovação interior.

Nicodemos questionou se era possível apagar o registro de sua vida, voltar ao passado e viver de novo. O Novo Nascimento, meus irmãos, não apaga o passado, mas oferece uma nova perspectiva para o futuro. O que foi feito não pode ser desfeito, mas pode ser redimido e transformado pela obra regeneradora do Espírito Santo.

Aqueles que experimentam o Novo Nascimento têm uma fé reformada, viva e pulsante. A fé no Cristo ressuscitado se torna uma fonte inesgotável de vida e esperança. A frieza espiritual, por outro lado, pode ser um sinal de que algo está errado com o novo nascimento.

Uma fé morna e apática pode indicar a ausência da profunda transformação espiritual que Jesus ensinou.

Portanto, queridos, convido a cada um de nós a refletir sobre a vitalidade de nossa fé em relação ao Novo Nascimento.

Que possamos vivenciar diariamente a regeneração espiritual, para que o Espírito Santo opere em nós, transformando-nos à imagem de Cristo.

Que a nossa fé não seja apenas um conjunto de crenças, mas uma experiência viva e transformadora, refletindo a obra regeneradora do Senhor em nossas vidas e na nossa comunidade de fé. Em nome de Jesus, amém.

Ministração Rev. Pinho Borges

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *