Nós e a Copa

A partir de hoje, 20 de novembro de 2022, até o dia 18 de dezembro de 2022, o olhar do mundo futebolístico vai estar voltado para o Catar, um país asiático, localizado península arábica na Ásia Continental, com aproximadamente 11.610 km2 ao lado do Golfo Pérsico, pois lá está acontecendo a 22ª Edição da Copa do Mundo FIFA de 2022. Neste período, o espírito futebolístico controla a vida não só dos brasileiros, mas de boa parte da população mundial.

A Copa do Mundo da FIFA, é sem uma reprodução que muda as cores a cada quatro anos, nas que assume uma dimensão não mensurada. A atenção do planeta esportivo nestes dias está voltada para o Catar. Atenção voltada para o ápice do esforço humano, em buscar do título da Campeão Mundial, que carimba a marca de ser, o melhor.

Com certeza milhares e milhares de correrias acontecerão nos devidos estádios preparados para tais eventos que serão aplaudidas por uns e vaiadas por outros, até porque ninguém é perfeito.

Não contra ao futebol, mas também, faz tempo que deixei de assistir tais jogos. Va vivenciei várias edições da Copa do Mundo, nesses meus 70 anos, mas fiquei tão desinteressado quanto nessa de 2022. Talvez porque estamos em meio a uma crise se precedentes e vejo o país parar para assistir os jogos, como um presente acariciador ao nosso ego futebolístico.

Por isso prefiro falar de outro estádio, outro alvo, outra medalha, outro pódio; mas pode o crente em Cristo Jesus, gostar de futebol? Sim. O que não pode é idolatrar as chuteiras dos atletas ou tornar o campo em um grande santuário, ao imaginário, deus do futebol. Como crentes devemos lembrar que a nossa taça é da santificação‚ é que o nosso esforço em campo é desenvolvido na presença de Deus.

Enquanto o atleta busca o bom preparo físico para conquistar a vitória a Palavra de Deus nos revela que seremos recompensados ao chegarmos ao ‘pódio da santificação’.

Enquanto o atleta busca a glória da vitória, nós devemos buscar a glória celeste e só a atingiremos quando negarmos a nós mesmos e plenamente preparados para Deus, pois a preparação espiritual‚ é uma corrida constante na vida crista.

A determinação do atleta o leva a superação, mesmo em momentos de dores, pois seu foco é a glória esportiva. Como seria bom que como crentes tivéssemos a mesma garra, o mesmo interesse, a mesma determinação na vida crista.

Nos jogos o pódio é o lugar da glória esportiva. Para nós ‘atleta em Cristo’ nosso pódio é Jesus. Para nós ‘atleta em Cristo’ nossa vitória é contra o pecado. Para nós ‘atleta em Cristo’ nossa medalha é a salvação. Não subiremos ao pódio de madeira a poucos centímetros do chão, não ouvirei o hino nacional. Pois, o nosso pódio é o céu; nosso hino é um louvor a Deus; nosso recorde é insuperável; e não haverá bronze ou prata, mas só ouro.

Sabemos que todos nos estádios correm, mas só um leva a medalha de ouro; corramos de tal maneira para alcançar a perfeita vida cristã. (Rev. Pinho Borges)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *