Melhorar a vida do idoso

Carrousel, Últimas Notícias

Brasil lança estratégia para melhorar vida de idosos com base em recomendações da OMS
08.09 idoso3 de abril de 2018 –

Nesta terça feira, 3 de abril, o governo do brasileiro lançou o programa: Brasil Amigo da Pessoa Idosa com vista a elaboração de politicas públicas que promova o envelhecimento ativo, saudável e sustentável para os idosos brasileiros, o programa contou com a colaboração da Organização Organização Mundial da Saúde (OMS) e Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS).
Entre as diretrizes do programa estão a observância e avaliação das cidades de acordo com a metodologia aplicada pela OMS com as devidas adaptações às particularidades da realidade brasileira.
A execução nos municípios será orientada pelo Governo Federal e pela OPAS sendo avaliada pelo Estado com a participação dos Conselhos Municipais dos Direitos da Pessoa Idosa.
A prioridade da iniciativa é o combate à violência financeira, psicológica, físico contra a pessoa idosa, assim como orientar a adaptação de residências a fim de prevenir de quedas e cuidados com a saúde.
O Brasil atende às recomendações da OMS para avaliação e desenvolvimento dos Planos de Ação direcionados às necessidades dos idosos.
Oito pontos da vida urbana que podem influenciar na saúde e na qualidade de vida da pessoa idosa como espaços ao ar livre e edifícios, transportes, habitação, participação social, respeito e integração social, participação cívica e emprego, comunicação e informação, apoio da comunidade e serviços de saúde.
Além dessas, os municípios brasileiros tem flexibilidade para inserir ações que considerem não contempladas nas oito dimensões.
Envelhecimento ativo – O número de pessoas com idade igual ou superior a 60 anos vai mais que dobrar no mundo em 2050, passando de 900 milhões em 2015 para cerca de 2 bilhões. Por isso, a Organização Pan-Americana da Saúde/Organização Mundial da Saúde (OPAS/OMS) acredita ser importante que os idosos de hoje e os do futuro possam envelhecer de maneira saudável e ativa. Ou seja, que a idade avançada não impeça as pessoas de ser e fazer o que querem ou valorizam.

Situações de abuso – Um estudo apoiado pela OMS e publicado em 2017 na Lancet Global Health mostrou que um em cada seis idosos sofre alguma forma de abuso. Esse número é maior do que o estimado anteriormente e a previsão é de que aumente à medida que as populações envelhecerem em todo o mundo.
A pesquisa descobriu que quase 16% das pessoas com 60 anos ou mais foram submetidas a abusos psicológicos (11,6%), abusos financeiros (6,8%), negligência (4,2%), abusos físicos (2,6%) ou abusos sexuais (0,9%). A pesquisa se baseia nas melhores evidências disponíveis de 52 estudos em 28 países de diferentes regiões, incluindo 12 países de baixa e média renda.

Deixe uma resposta