Jomira França: in memoriam.

Aconteceu, Carrousel, Idoso em Foco

Celebramos a vida, e não a morte.

Hoje fui concelebrante com o Rev. Gedeão Ferreira do Culto considerado fúnebre na Igreja Presbiteriana de Tejipió da irmã Jomira França.
Quero inicialmente frisar que num culto como este, não celebramos a morte, ou o morto, mas celebramos sim: a vida. Celebramos a vida, porque cremos que a morte física de um justo, é uma passagem, é um momento de transição.
Quando um justo morre sua alma separa-se de seu corpo físico e passa a desfrutar da presença de Deus.
É por este motivo, que não celebramos a morte em um momento como este.
Celebramos a vida, porque temos a certeza, que em Cristo temos vida eterna.
Na morte refletimos sobre a fragilidade da vida.
Precisamos compreender que somos frágeis, e que precisamos a cada dia de Deus, pois é ele que controla todas as coisas; é Ele quem determina o tempo de nascer, de viver e de morrer.
Aprouve Deus, como um Bom jardineiro colher a nossa irmã Jomira França, aos 87 anos de idade.
Uma irmã amada por todos que congregam na Igreja Presbiteriana de Tejipió, e que por muitos anos contribuiu para que o ministério da Igreja em todas as suas áreas fossem benção.
O Criador a colheu nesta data 16 de julho de 2018 quando estrava entrando no templo para participar de uma programação dos Adolescentes.
Poucos passos entrando no templo se lançou confiantemente nos braços do Senhor para a vida eterna.
Queridos. Na certeza que é o Senhor quem nos dar a vida, quem nos dar o livramento, quem nos dar a provisão. Agradecemos pela vida de Jomira e tudo de belo que ela realizou.
Ao saber de sua morte ecoou nos meus ouvidos a sua voz dizendo:” filhinho”. Era assim como ela carinhosamente me tratava. E com certeza esse som jamais será esquecido nem aqui nem na eternidade.
Nossa vida é tão frágil, que não sabemos se estaremos vivos amanhã. Mas, a única e maior certeza que temos, é que apesar de sermos frágeis, nossa vida está nas mãos do Deus forte e poderoso, nosso Criador.
É comum diante da morte colocarmos nossas vidas, planos, e sonhos nas mãos de Deus.
O Salmos 37,5: “Entrega o teu caminho ao SENHOR, confia nele, e o mais ele fará”. E com certeza a nossa irmã Jomira assim procedeu.
Destaco que é necessário entregarmos a nossa vida nas mãos de Deus, assim como fez Jomira, e para fazermos essa entrega precisamos em ser cristão professo e confesso. O apostolo Paulo nos ensina a fazer esta confissão em Romanos 10,9: “Se, com a tua boca, confessares Jesus como Senhor e, em teu coração, creres que Deus o ressuscitou dentre os mortos, serás salvo.” E muitas vezes ouvimos essa confissão da irmã Jomira.
É importante acrescentar, que quando confessamos com a nossa boca que Jesus é nosso Senhor e salvador, e desejamos realmente viver uma vida de mais comunhão com Ele, temos uma promessa que certamente não falhará: “somos salvos”.
Portanto, temos a garantia que a morte física não nos afastará de Deus. Viveremos eternamente com Ele.
Finalizo com uma palavra de consolação para a família: Vocês não estão sozinhos, Deus continuará cuidando de vocês.
Ele vai sustenta-los neste momento de despedida e de vacancia.
Ele vai ajudá-los a superar toda dor com o balsamo da consolação. O Deus que em Sua plena e absoluta Soberania permitiu que Jomira partisse do seio dos entes queridos, é o mesmo que vai fortalece-los e sustentá-los.
Nunca esqueçam das palavras do Senhor Jesus: “Estarei convosco até a consumação dos séculos”.
Que em Jesus, vocês familiares da irmã Jomira França possam se ajudar uns aos outros, fortalecendo a união, e buscando nesse momento de luto uma experiência maior de comunhão com Deus.
Que em nome de Jesus, todos os amigos da irmã Jomira possam ajudar a família enlutada com suas orações, visitas, consolando-a na ação do Espirito Santo. Rev. Pinho Borges

Deixe uma resposta