ILPIs e o Blá Blá da politica

MINHA OPINIÃO – No Minha Opinião de hoje vamos tratar de politicas públicas para o setor. Os políticos acham são diamantes no trato com as pessoas idosas, mas na realidade não passam de um metal sem som.

No dia 16 de novembro de 2022, em Audiência Pública, a Comissão de Defesa dos Direitos da Pessoa Idosa da Câmara dos Deputados. ouviu as entidades as Instituições de Longa Permanência para Idosos (ILPIs), que vem cobrando do Estado há muito tempo mais atenção para com o segmento.

Lembram do dito que diz: “entra por um ouvido e sai pelo outro”? É o que ocorre quando o assunto é a pessoa idosa. Na audiência, os debatedores ouvidos, mostraram as falhas do Estado com relação ao atendimento e assistência às pessoas idosas abrigadas nas ILPIs; que passam pela insuficiência de equipamentos para abrigar a população idosa, recursos humanos e financeiros.

As ILPIs são instituições governamentais ou particulares, destinadas ao domicílio coletivo de pessoas com idade superior a 60 anos. Quanto a insuficiência de ILPIs é um problema que vem se arrastando aos longos dos anos o que revela que o Estado não dá a mínima para o setor ou apenas, dá o mínimo de atendimento ao segmento.

São raras as ILPIs que não apresentam situações deploráveis, com carências de recursos humanos, orçamentos insuficientes e estruturas inadequadas. Muitas delas são parecidas dom “depósitos de idosos”, aguardando o momento de serem transportados para o “campo santo”.

Nós idosos, somos aproximadamente um quarto (1/4), da população brasileira, mas os nossos legisladores, não estão. nem aí para esse segmento da população, na realidade há muita fumaça para pouco fogo, na verdade. Quando falo em fumaça é porque são tantos blá blá, são tantos retratos, tanto cadastros, tantos atos normativos que não saem dos papeis; que a crença não passa de nuvens passageiras.

O Governo, nem sabe, com certeza, quantas ILPIs, funcionam no Brasil, com a pandemia de Covid-19, se deu início ao cadastramento para atender com o Auxílio Emergencial (Lei 14.018/20), que permitiu que o Governo Federal liberar cerca R$ 165 milhões de reais com cerca de 2.117 ILPIs, e assim beneficiou cerca de 70 mil idosos abrigados.

Na Minha Opinião, projetar, planejar, legislar não tem sentido se não há execução das ações, é o mesmo que chamar o povo para ver o boi voar, ou fotogravar par “inglês vê”, não passam de engodos e decepções para com o Estado de direito, que as pessoas idosas possuem. Quem viver verá.

Fonte: Agência Câmara de Notícias

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *