Cântico do Natal

Reflexão

“E de repente sucedeu com o anjo uma multidão de exército celeste louvando a(o) Deus e dizendo : Glória nos mais altos (lugares) a Deus e sobre a terra paz, em homens de benevolência”

ANJOS: A expressão multidão de exército celeste é puramente semítica que designa os seres celestes que constituem a corte de Deus como relata o texto de 1RS. 22, 19  “Então ele disse: Ouve, pois, a palavra do SENHOR: Vi ao SENHOR assentado sobre o seu trono, e todo o exército do céu estava junto a ele, à sua mão direita e à sua esquerda.”  Como Deus não se agrada dos cânticos e músicas profanas Ele recebe a verdadeira glória de seus fieis da corte celestial.

GLORIA: Significa honra que se deve tributar a Deus. Podemos agradecer sempre pelas intervenções poderosas e salvadora de Deus. É esta glória que Deus espera dos anjos e de todos os eleitos por toda a eternidade.

PAZ: é o oposto a guerra e, em sentido figurado, significa tranquilidade de espírito. No Novo Testamento paz significa o conjunto de bens desejáveis. A paz messiânica, abrange todos os bens, principalmente os de ordem espiritual porque provém de Deus. O profeta Isaias revela que o Messias vem como príncipe da paz (Is 9,5), e Miqueias afirma que Ele é a paz (5,4).

No cântico de Zacarias, no Novo Testamento, a paz tem sentido de perdão, de amizade restaurada após um período de conflitos (Lc 1,77). Cristo na horizontalidade une povos através da sua igreja e verticalmente reconciliou estes povos com Deus como nos revela Paulo em Efésios 2,14-18. A Nova Aliança em Cristo foi chamada pelos profetas como aliança de paz como mostra o Ezequiel 37,26; a Nova aliança não seria entre servos, mas entre amigos no nos diz João 15,15.

BOA VONTADE: significa complacência, beneplácito, satisfação. É a palavra empregada no batismo de Jesus quando se submete à humilhação de ser considerado pecador ao assumir os nossos pecados: “E o Espírito Santo desceu sobre ele em forma corpórea, como pomba; e ouviu-se uma voz do céu, que dizia: Tu és o meu Filho amado, em ti me comprazo”(Lc 3,22) ou no momento da transfiguração: “Eis aqui o meu servo, que escolhi, O meu amado, em quem a minha alma se compraz; Porei sobre ele o meu espírito, E anunciará aos gentios o juízo”. (Mt 12, 18).

É essa a Boa Nova prodigiosa: a paz.

Cristo nasceu num momento assinalado pela “paz” que as vinte e cinco legiões Romanas mantinham na região. Mas a paz que Ele trouxe foi muito mais profunda e duradoura do que a pax romana.

Queridos. Ele nos trouxe a paz que nos une com Deus e torna feliz a nossa alma.

Que neste natal o nosso cântico seja: “Paz na terra aos homens por Ele amados”.

Deixe uma resposta