Calar ou denunciar. Eis a questão

Calar ou denunciar. Eis a questão

PINHO BORGES – No MINHA OPINIÃO de hoje vou tratar mais uma vez sobre a violência contra a pessoa idosa: “Calar ou denunciar. Eis a questão”. E para isso, tomei como fonte a Agência Câmara de Notícias/ https://www.camara.leg.br/noticias/774878-pandemia-de-covid-agravou-situacao-de-violencia-contra-idosos/ 18.06.2021. Radio Câmara.
A agência noticiou, no dia 18 de junho de 2021, que aconteceu em Brasília um Seminário para debater a situação de violência contra as pessoas idosas durante a pandemia do Covid-19, e que o Seminário foi realizado pela Câmara dos Deputados.

Na abertura do seminário, Damares Alves, Ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos, Damares Alves, destacou a Campanha Nacional de Conscientização sobre a Violência Contra os Idosos e que o enfrentamento a esse problema é prioridade, e que o Poder Público “precisa chegar antes dos agressores”. O Seminário destacou a importância da prevenção a violência e que as denúncias devem serem feitas no Disque 100.

Já é de conhecimento publico que o Isolamento Residencial criou bastante problemas para a faixa etária idosa. Não bastasse as mortes pela Covid -19, soma-se a isso as mortes por violência e plasmem os idosos se tornaram vítimas dos próprios familiares. E sua maioria os agentes da violência são filhos, netos, conjugues e cuidadores. As pessoas que deviam amar e proteger os idosos são quem mais violentam.

Segundo Fernando Ferreira, Ouvidor Nacional dos Direitos Humanos, informou que este ano (2021), já foram registradas 37 mil notificações de violência contra pessoas idosas, sendo que 29 mil delas é de violência física. Que a maioria das vítimas tem entre 70 e 74 anos, 68% são mulheres e que 47% das agressões os agentes são os filhos. Ele, informou que as violências mais comuns são maus tratos, risco à saúde e constrangimentos.

O Ouvidor Nacional também destacou ocorreram 9 mil denúncias de violência patrimonial, como utilização do cartão de crédito do idoso, empréstimos e transferência de propriedades. Neste ano.

Vicente Faleiros, Professor da Universidade Católica de Brasília, explicou que a vulnerabilidade das pessoas idosas está relacionada pela “desigualdade social e que os diversos tipos de violência estão interligados”.

O pesquisador da Fundação Oswaldo Cruz, Daniel Groisman, comentou que as dificuldades de a vítima fazer a denúncia por estar “Num ambiente muito pequeno, com pouca gente, o idoso tem medo que cheguem à conclusão de que foi ele que fez a denúncia”. e ressaltou que 340 mil idosos já morreram em decorrência da Covid-19 no Brasil.

O deputado, Dr. Frederico, que é o Presidente da Comissão dos Direitos da Pessoa Idosa da Câmara, afirmou que “a Câmara Federal Parlamento trabalha na modernização da legislação para o idoso”.

Renato Gomes, representante da Secretaria Nacional de Promoção e Defesa dos Direitos da Pessoa Idosa, pediu uma atenção especial para as Redes Locais de Proteção do Idoso e ao fomento ao debate sobre a violência contra as pessoas idosas no ambiente escolar.

Alexandre Alcântara, Promotor do Ministério Público do Ceará, ressaltou que a pandemia reduziu a expectativa de vida entre as pessoas idosas.

Lembre-se se você pré idoso não combater a violência à pessoa idosa com certeza amanhã você será próxima vítima.

Fonte: Agência Câmara de Notícias/ https://www.camara.leg.br/noticias/774878-pandemia-de-covid-agravou-situacao-de-violencia-contra-idosos/ 18.06.2021. Radio Câmara.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *