Alteração no Regimento do CNDPI.

Alteração no Regimento do CNDPI.

O Presidente Jair Bolsonaro sancionou o DECRETO Nº 10.643, DE 3 DE MARÇO DE 2021, que altera o Regimento do Conselho Nacional dos Direitos da Pessoa Idosa (CNDPI).
Reprodução – “Presidência da República/Secretaria Geral/Subchefia para Assuntos Jurídicos

DECRETO Nº 10.643, DE 3 DE MARÇO DE 2021
Altera o Decreto nº 9.893, de 27 de junho de 2019, que dispõe sobre o Conselho Nacional dos Direitos da Pessoa Idosa.
O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, no uso da atribuição que lhe confere o art. 84, caput, incisos IV e VI, alínea “a”, da Constituição, e tendo em vista o disposto no art. 6º da Lei nº 8.842, de 4 de janeiro de 1994,
DECRETA:   

Art. 1º  O Decreto nº 9.893, de 27 de junho de 2019, passa a vigorar com as seguintes alterações:

“Art. 2º  ………………………………………………………………………………………………………………………

§ 1º  O Conselho Nacional dos Direitos da Pessoa Idosa submeterá à aprovação do Ministro de Estado da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos sua proposta de regimento interno e suas alterações posteriores.

§ 2º  O regimento interno de que trata o § 1º disporá sobre o funcionamento e as atribuições dos membros do Conselho Nacional dos Direitos da Pessoa Idosa.” (NR)

“Art. 3º  O Conselho Nacional dos Direitos da Pessoa Idosa é integrado por doze membros, observada a seguinte composição:
……………………………………………………………………………………………………..

II – por representantes dos seguintes órgãos:
a) Ministério da Economia;
b) Ministério da Educação;
c) Ministério da Cidadania;
d) Ministério da Saúde; e
e) Ministério do Desenvolvimento Regional; e

III – por seis representantes da sociedade civil organizada, indicados por entidades selecionadas por meio de processo seletivo público e designados pelo Ministro de Estado da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos.

§ 1º  Cada membro do Conselho Nacional dos Direitos da Pessoa Idosa terá um suplente, que o substituirá em suas ausências e seus impedimentos.

§ 2º  O regulamento do processo seletivo público das entidades a que se refere o inciso III do caput será elaborado pelo Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos e divulgado por meio de edital público em até noventa dias antes da data prevista para a posse dos membros do Conselho.
…………………………………………………………………………………………………….
§ 4º  O mandato dos representantes da sociedade civil organizada será de dois anos, permitida uma recondução.
§ 7º  O Vice-Presidente do Conselho Nacional dos Direitos da Pessoa Idosa será:
I – escolhido por meio de votação, por maioria simples, dentre os membros a que se refere o inciso III do caput; e
II – designado pelo Ministro de Estado da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos.
§ 8º  Na hipótese de ausência simultânea do Presidente e do Vice-Presidente do Conselho Nacional dos Direitos da Pessoa Idosa, a presidência será exercida pelo membro mais idoso.” (NR)
……………………………………………………………………………………………………. .

“Art. 4º  As entidades da sociedade civil organizada de que trata o inciso III do caput do art. 3º poderão indicar novo conselheiro e novo suplente no curso do mandato somente no caso de vacância do titular e do suplente.

………………………………………………………………………………………………” (NR)

Art. 2º  O Conselho Nacional dos Direitos da Pessoa Idosa elaborará o seu regimento interno no prazo de cento e oitenta dias, contado da data da posse dos membros a que se refere os incisos II e III do caput do art. 3º do Decreto nº 9.893, de 2019, e será aprovado em ato do Ministro de Estado da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos.

Art. 3º  A composição do Conselho Nacional dos Direitos da Pessoa Idosa na forma prevista neste Decreto será obedecida a partir do biênio 2021 a 2023.

Parágrafo único. O mandato dos membros que compõem o Conselho Nacional dos Direitos da Pessoa Idosa na data de entrada em vigor deste Decreto será mantido até a designação dos novos membros.

Art. 4º  Fica revogado o inciso IV do caput do art. 3º do Decreto nº 9.893, de 2019.
Art. 5º  Este Decreto entra em vigor na data de sua publicação.
Brasília, 3 de março de 2021; 200º da Independência e 133º da República.
JAIR MESSIAS BOLSONARO
Damares Regina Alves

Este texto não substitui o publicado no DOU de 4.3.2021″

FONTE: http://www.planalto.gov.br/CcIVIL_03/_Ato2019-2022/2021/Decreto/D10643.htmstitui o publicado no DOU de 4.3.2021

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *