Abraão o modelo de crente

Carrousel, Reflexão

Abraão o modelo de crente
Gênesis 18,1-10ª. “Naqueles dias, o Senhor apareceu a Abraão junto do carvalho de Mambré. Abraão estava sentado à entrada da sua tenda, no maior calor do dia. Ergueu os olhos e viu três homens de pé diante dele.
Logo que os viu, deixou a entrada da tenda e correu ao seu encontro; prostrou-se por terra e disse: «Meu Senhor, se agradei aos vossos olhos, não passeis adiante sem parar em casa do vosso servo. Mandarei vir água, para que possais lavar os pés e descansar debaixo desta árvore.
Vou buscar um bocado de pão, para restaurardes as forças antes de continuardes o vosso caminho, pois não foi em vão que passastes diante da casa do vosso servo».
Eles responderam: «Faz como disseste». Abraão apressou-se a ir à tenda onde estava Sara e disse-lhe: «Toma depressa três medidas de flor da farinha, amassa-a e coze uns pães no borralho».
Abraão correu ao rebanho e escolheu um vitelo tenro e bom e entregou-o a um servo que se apressou a prepará-lo.
Trouxe manteiga e leite e o vitelo já pronto e colocou-o diante deles; e, enquanto comiam, ficou de pé junto deles debaixo da árvore.
Depois eles disseram-lhe: «Onde está Sara, tua esposa?». Abraão respondeu: «Está ali na tenda».
E um deles disse: «Passarei novamente pela tua casa daqui a um ano e então Sara tua esposa terá um filho».

O texto lido convida-nos a refletir sobre o tema da hospitalidade e do acolhimento.
Sugerem, sobretudo, que na existência cristã é o acolhimento de Deus e das suas propostas; e que a ação tem de partir de um verdadeiro encontro com Jesus e da escuta desta Palavra: Jesus.
É isso que permite encontrar o sentido da nossa ação e da nossa missão.
O texto nos propõe a figura patriarcal de Abraão. Nessa figura apresenta-se o modelo do homem que está atento a quem passa, que partilha tudo o que tem com o irmão que se atravessa no seu caminho e que encontra no hóspede que entra na sua tenda o próprio Deus.
Sugere-se, em consequência, que Deus não deixa de recompensar quem assim procede.

AMBIENTE – Os capítulos 12-36 do Livro do Gênesis são um conjunto de textos com carácter de documento histórico ou de reportagem jornalística de acontecimentos.
Trata da chegada do “fundador do estado hebreu” a um determinado local e a tomada de posse daquela terra e como esse lugar se tornou um local de culto e relata onde de forma expressa a realidade da vida nômada durante o segundo milênio antes de Cristo.
Em sua origem o texto narra como três figuras divinas apareceram a um cananeu anônimo junto do carvalho sagrado de Mabré (perto de Hebron).
Como esse cananeu os acolheu na sua tenda e que foi recompensado com um filho por Deus.

MENSAGEM – Qual é, então, a lição que o texto passa para nos hoje.
No texto, o personagem central é Abraão. E que mais tarde, na época de Salomão, vai ser apresentado aos israelitas, como modelo de vida e de fé.
O texto apresenta Abraão “sentado à entrada da sua tenda, na hora de maior calor do dia” (v.1).
De repente, aparecem três homens diante dele (v.2). Abraão convida-os a entrar; não se limita a trazer-lhes água para lavar os pés, mas improvisa um banquete com pão recentemente cozido, com um vitelo “tenro e bom” do rebanho, com manteiga e leite; depois, fica de pé junto deles, na atitude do servo sempre vigilante para que nada falte aos convidados (vs. 3-8): é uma prova de hospitalidade e acolhimento no seu melhor.
Por sua atitude Abraão é apresentado, como o modelo do homem íntegro, humano, bondoso, misericordioso, atento a quem passa e disposto a repartir, de forma gratuita, aquilo que tem de melhor.
Terminada a refeição, é anunciada a Abraão a próxima realização dos seus anseios mais profundos: a chegada de um filho, o herdeiro da sua casa, o continuador da sua descendência (vs.9-10).
O dom do filho é a resposta de Deus à ação de Abraão: o texto nos ensina que Deus não deixa passar em claro, mas recompensa a atitude de bondade, gratuidade, e amor.
O texto apresenta a atitude do verdadeiro crente diante de Deus.
Embora não fique expresso se Abraão tem ou não consciência de que está diante de Deus, mas a sua serena submissão, respeito, e confiança total nos leva a crer que a ele foi revelado.
Enquanto Sara ri diante da “promessa”. Abraão conserva-se em silêncio digno, sem manifestar qualquer dúvida
As atitudes de Abraão mostram como devemos agir diante desse Deus que vem ao nosso encontro aqui e agora.
Atente, também, para um Deus que irrompe repentinamente na vida do homem, que aceita entrar na sua tenda e sentar-Se à sua mesa, constituindo-Se em comunidade com ele.(lembrar Jesus indo a cada Zaqueu)
O comer em conjunto com Abraão tem o significado: comunhão, estabelecer laços de família, partilhar vida.
O texto apresenta um Deus dialogante, que estabelece laços familiares com o homem e estabelece uma história de amor e de comunhão.
Abraão é o modelo do crente: ele é aquele a quem Deus vem visitar, que o acolhe na sua casa e na sua vida de forma exemplar, que coloca tudo o que possui nas mãos de Deus e que manifesta, com o seu comportamento, a sua bondade, a sua humanidade, a sua confiança e a sua fé; ele é aquele que partilha o que tem com quem passa e cumpre em grau extremo o sagrado dever da hospitalidade.
O texto nos ensina que quem age como Abraão é recompensado por Deus.

Deixe uma resposta