A Igreja de Esmirna

Vamos realizar uma exegese rápida do texto “Ao anjo da igreja em Esmirna escreve: Estas coisas diz o primeiro e o último, que esteve morto e tornou a viver” (Apocalipse 2, verso 8), uma análise de cada parte do versículo em seu contexto histórico e teológico dentro do livro do Apocalipse.

A Igreja de Esmirna – “Ao anjo da igreja em Esmirna escreve: Estas coisas diz o primeiro e o último, que esteve morto e tornou a viver:”

Queridos. Vamos realizar uma exegese rápida do texto “Ao anjo da igreja em Esmirna escreve: Estas coisas diz o primeiro e o último, que esteve morto e tornou a viver” (Apocalipse 2, verso 8), uma análise de cada parte do versículo em seu contexto histórico e teológico dentro do livro do Apocalipse.

Contexto Histórico e Literário: O livro do Apocalipse foi escrito pelo apóstolo João durante seu exílio na ilha de Patmos, por volta do final do primeiro século depois de Cristo. Este livro é uma revelação de Jesus Cristo a João, contendo visões proféticas sobre o futuro e mensagens específicas para sete igrejas na Ásia Menor (atual Turquia), que representavam igrejas cristãs reais naquela época.

Significado de “O Primeiro e o Último”: Ao se identificar como “o primeiro e o último”, Jesus está proclamando Sua eternidade e soberania sobre todas as coisas. Este título é uma referência direta às palavras de Deus no Antigo Testamento, onde Ele se apresenta como o “primeiro e o último” (Isaías 44 verso 6 e 48, verso 12), indicando Sua natureza como o único Deus verdadeiro e eterno. Ao usar este título para se descrever, Jesus está reivindicando Sua divindade e autoridade sobre toda a criação.

“Que Esteve Morto e Tornou a Viver”: A declaração de Jesus de que Ele “esteve morto e tornou a viver” é uma referência clara à Sua morte e ressurreição. Esses eventos são centrais para a fé cristã, pois afirmam que Jesus, o Filho de Deus, não apenas morreu por nossos pecados, mas também conquistou a morte ao ressuscitar dos mortos. A ressurreição de Cristo é fundamental para a esperança cristã na vida eterna e na vitória sobre o pecado e a morte.

Aplicação à Igreja em Esmirna: Ao dirigir estas palavras à igreja em Esmirna, Jesus está revelando Sua identidade como o Deus eterno, soberano sobre todas as coisas, e como o Salvador que venceu a morte. Para a igreja que estava enfrentando perseguição e dificuldades, essa mensagem era uma fonte de encorajamento e consolo. Jesus estava lembrando aos crentes em Esmirna que Ele era maior do que qualquer adversidade que pudessem enfrentar, e que Ele os fortaleceria em sua fidelidade até o fim.

Aplicação Atual: Para nós hoje, esta declaração de Jesus continua sendo uma poderosa lembrança de Sua divindade, Seu poder sobre a morte e Sua promessa de vida eterna para todos os que creem Nele. Em meio às dificuldades, podemos encontrar conforto e segurança na certeza de que Jesus é o Senhor da história e que Ele é capaz de nos sustentar e nos fortalecer em todas as circunstâncias.

Em resumo, o texto revela Jesus como o eterno e soberano Deus que venceu a morte, oferecendo esperança e encorajamento à igreja em Esmirna e a todos os crentes ao longo da história. Que possamos confiar Nele e encontrar nossa segurança na verdade de Sua ressurreição e Seu poder salvador.

Ministração. Reverendo Pinho Borges/Locução. Assistente Fábio Virtual

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *