Produzindo frutos no envelhecimento.

Olha estas velhas árvores, mais belas do que as árvores novas, mais amigas: tanto mais belas, quanto mais antigas, vencedoras da idade e das procelas. O homem, a fera e o inseto, à sombra delas, vivem livres da fome e de fadigas; e em seus galhos, abrigam-se as cantigas e os amores das aves tagarelas. Não choremos, amigo, a mocidade! Envelheçamos rindo! Envelheçamos como as árvores fortes envelhecem! Na glória da alegria e da bondade, agasalhando os pássaros nos ramos, dando sombra e consolo aos que padecem!” (Olavo Bilac)

Embora seja verdade que algumas limitações sujem com o passar dos anos é preciso que a pessoa idosa vivencie o envelhecimento com naturalidade e agradecida a Deus por cada dia vivido. Deus é atemporal e não faz medição por critérios cronológicos.

A Bíblia relata que na velhice o homem pode produzir frutos salutares e multiplicadores mostrando que a longevidade não é motivo de interdição absoluta das ações, mas o tempo para renascer.

Enganam-se aqueles que pensam que a velhice é o estacionar da vida, da beleza, do sentimento, do prazer, da alegria e de fecundidade. Quando se fala em fecundidade no idoso, logo surgem as brincadeiras aliadas aos preconceitos.

A mídia noticiou no dia 05 de junho de 2008, mais um caso de fecundidade idosa; uma indiana com 70 anos de idade deu a luz a gêmeos[1].

Nos textos bíblicos encontramos vários idosos gerando filhos a exemplo de Adão que gerou um filho aos cento e trinta anos[2], mas não são nos frutos biológicos que vamos focar. Produzir frutos no envelhecimento na perspectiva bíblica significa ter dias com qualidade na presença de Deus.

O Estado Político trata o envelhecimento como “inatividade” a partir da aposentadoria, fator este que alimenta fortemente o efeito psicológico da rejeição. Certa vez presenciei a reação de choro e protesto de uma pessoa ao ler sua situação de “inativo” na correspondência que formalizava sua aposentadoria.

Deus não trata o envelhecimento na mesma perspectiva social, pois no vocabulário divino não existe o termo “inatividade”. Ele rejeita a associação desta termologia ao envelhecimento a prova disso é que Ele escolheu vários anciãos para serem produtivos.

A partir de pessoas idosas Deus fez revelações revolucionárias. “Por isso não desfalecemos; mas, ainda que o nosso homem exterior se corrompa, o interior, contudo, se renova de dia em dia”[3], isso é o que a sociedade precisa compreender e aceitar.

Segundo dados do IBGE, até outubro de 2010, as pessoas com mais de 100 anos somavam 17.615 no quantitativo de 80% da população recenseada.

O maior desejo de uma pessoa é envelhecer com qualidade, isto é, envelhecer frutificando, sem se sentir pesado aos familiares ou a sociedade.

O que fazer para que isso possa acontecer? Confiar nas promessas divinas e seguir os seus princípios, pois só assim “Na velhice ainda darão frutos, serão viçosos e florescentes”. A Bíblia está recheada de exemplos de longevidade com qualidade de vida sendo frutificantes como podemos ler a seguir.

  • Abrão[4] quando tinha noventa e nove anos, o Senhor lhe apareceu e lhe disse: “Anda em minha presença, e sê perfeito”; e firmou com ele um pacto de multiplicação geracional.
  • Gideão morreu numa boa velhice conforme relato do Livro de Juízes.
  • Ana a profetisa, filha de Fanuel, era viúva, de quase oitenta e quatro anos e não se afastava do templo, servindo a Deus noite e dia em jejuns e orações.
  • Rei Davi, morreu numa boa velhice, cheio de dias, riquezas e honra[5].
  • viveu uma boa velhice e que foi recolhido a presença de Deus como um “feixe de trigo” no tempo certo[6].
  • Moisés morreu com cento e vinte anos[7] e com muito vigor.
  • Simeão que morava em Jerusalém, era um homem justo e temente a Deus, o Espírito Santo lhe revelou que não morreria antes de ver o Cristo do Senhor.
  • Lóide ensinava ao neto Timóteo com fidelidade trazendo-lhe à memória a fé não fingida.

[1] Mundo Record News – http://www.mundorecordnews.com.br/play/c19473f7-22cf-41ee-9e5d-7f38d46d0754

[2] Gênesis 5,3.

[3] 2º Corintos 4,16.

[4] Gênesis 17, 1-2.

[5] I. Crônicas. 29,28.

[6] Jó 5:26.

[7] Deuteronômio. 34,7.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *