Não há florestas de ipês.

REPRODUÇÃO – Recebi este texto escrito, por João Baptista Zecchin. Um excelente texto para refletir sobre amigos.

“Não há florestas de ipês. Há ipês nas florestas. Um aqui, outro lá.
Como não há multidão de amigos. Há amigos na multidão. Raros, consistentes, mas poucos. O ipê marca sua presença na paisagem, como o amigo marca sua presença na memória.
No ipê, a flor é frágil e passageira. O tronco é sólido e resistente. O tronco é a alma. A flor é a palavra.
No amigo, mais que na palavra é na alma que se apoia o coração que busca. Mais importante que aquilo que se diz é aquilo que se é. … O ipê chama atenção, mas não se exibe. É assim com o amigo. Presente na hora exata.
Não alardeia a amizade que oferece. O ipê nada pede. Nasce espontâneo e não fica a exigir cuidados. Como o amigo, que não é interesseiro.
Entre tantas lições que nos dá o ipê, esta, da amizade, é das mais preciosas. Não é rico, porque não tem frutos. Consegue ser amado por aquilo que é. Ele vem dizer, todos os anos, que a amizade é um tesouro. Como o ouro da cor que o reveste.
Cultive a amizade, ela é forte como o tronco do ipê. É como a vida que não desiste”.

FOTO. banco-de-dados-arvores-amazonia-foto-joao-marcos-rosa-floresta-nacional-de-carajas-conexao-planeta.jpg.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *